Sobre mitos trazidos à baila na atual campanha eleitoral (i): uma introdução

Compartilhe este texto:

Não deve ser novidade para ninguém que o facebook não tem memória. Nele, tudo o que dizemos hoje será facilmente esquecido amanhã. Face a isto, não é de hoje que defendo a utilização de blogs como backup do facebook, para conferir alguma permanência ao que por vezes dizemos, no calor das discussões, em redes sociais

Como agora. Nesta época de paixões políticas exacerbadas, tenho deixado meu querido blog meio abandonado. Então, copiarei aqui os “textões” que, desde hoje, me comprometi a publicar no face diariamente até o segundo turno destas eleições. Se o Haddad for o próximo presidente, me regozijarei secretamente pela campanha que empreendi; caso contrário, a inutilidade de minhas postagens na rede permanecerá como uma lição a ser por mim apreendida.

Eventualmente, compilarei, abaixo das postagens originais, os threads de comentários sob as mesmas – pois, em redes sociais, discussões ensejadas são, por definição, mais interessantes ou, pelo menos, mais didáticas do que as postagens que lhes dão origem.

Então, sem mais delongas, após as três estrelinhas, a postagem original da série prometida.

* * *

Até aqui me abstive de usar o facebook para fazer política. Agora é diferente. Para impedir uma catástrofe iminente, Haddad precisa conquistar um ponto percentual por dia. Não é pouco. Por isto, mais do que nunca, prezo a existência, que sempre defendi, de membros do espectro ideológico oposto em minha timeline. Até o segundo turno, metade das minhas falas serão a eles dirigidas no intuito de derrubar mitos que dão sustentação às teses de que 1) o #elenão poderá redimir a nação e 2) o PT é intrinsecamente maligno e, como tal, responsável por tudo o que de ruim aconteceu por aqui nos últimos anos.

A tarefa, para quem quer que se identifique minimamente com a justiça social e as liberdades democráticas (principalmente as das minorias que estão na mira), não é nada fácil. Então, dedicarei a outra metade de minhas intervenções a conversar com likeminded people sobre como “converter” aqueles seduzidos pelo discurso de direita.

Estas eleições, mais do que quaisquer anteriores, estão se definindo a partir da campanha na internet. O que não deixa de ser um avanço, i.e., com as falas distribuídas (narrowcasting) influenciando muito mais do que qualquer propaganda – incluindo debates ! – veiculada nos grandes meios (broadcasting). E, nessa guerra, vale tudo. Fake news e memes rasos, inclusive. Se quisermos um país melhor daqui prá frente, temos que ocupar este espaço. Então, abracem eleitores do #elenão todos os dias (pois xingá-los só os encherá de razão…) – e, embora eu não seja nem petista nem tampouco religioso, jamais acreditei tanto na máxima ” – Eles não sabem o que dizem ! ”

Uma resposta para “Sobre mitos trazidos à baila na atual campanha eleitoral (i): uma introdução”

  1.  Sempre devemos ter um olhar crítico e desconfiado para esses institutos de pesquisas que apostam sempre na ignorância do povo. A cada pesquisa insultam nosso povo com seus números que não cabem dentro do atual cenário político. Vão dar com os burros n”água! Eu não vejo esse crescimento do candidato do PT por onde ando. Não vejo sequer alguém comentar a respeito desse cidadão. É real sim, a quantidade de pessoas revoltadas com esse partido e seus representantes, levantando a bandeira de outro candidato #elenão. Aqui no Ceará não podemos tomar como termômetro e julgar o restante da federação, mas no Ceará a grande maioria é Ciro 12! O certo é que o candidato do PSL #elenão estará no segundo turno, e até mesmo pode já levar no primeiro turno frente a uma suposta ameaça do PT chegar e derrotá-lo no segundo turno. Isso é outra mentira, o candidato do PT jamais ganhará no segundo turno. Mas esse não seria a verdadeira intenção das pesquisas? Sim ou não, o #elenão já está com 31%, com potencial de aumento frente a esse “perigo petista. #pesquisanão, #elesnão, Ciro 12 sim!! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *